Estratégia Interministerial para Promover a Alimentação Saudável | Blog BCooker's
BCooker'sum Blog saído da Caixa
31 julho 2017

Conversas sobre a Alimentação Saudável num Mercado de Lisboa

No mundo

Conversas sobre a Alimentação Saudável num Mercado de Lisboa

Foi no Mercado de Alvalade, agora com um parque infantil no interior e novas instalações sanitárias, a mimetizar as áreas comuns dos shoppings, que a direção Geral de Saúde apresentou a Estratégia Interministerial para Promover a Alimentação Saudável.

O Mercado estava cheio de famílias nas compras da semana e de residentes do bairro, muitos deles seniores habitues destas lides de ir ao mercado há décadas. É bom ver os Mercados de Lisboa a conquistarem as famílias "modernas".

Depois da apresentação do Dr. Pedro Graça da DGS sobre os números e tendências na alimentação dos portugueses, já abordadas na Alimentaria e sobre a estratégia do ministério, foi a vez de passar a palavra aos bloggers e aos chefs em dois painéis distintos.

 

Alimentação saudável na perspetiva dos bloggers 

A representar o mundo digital dos conteúdos relacionados com a alimentação estiveram presentes pelo blog cincoquartosdelaranja.com, a Isabel Zibaia e pelo blog its-uptoyou.com a Raquel Fortes. Isabel, com uma cozinha de base mais tradicional, defendeu a importância de se ensinar as pessoas a cozinhar com menos açúcar e com menos sal, usando substitutos como as ervas aromáticas e as especiarias.

Raquel Fortes que editou, juntamente com Luísa Fortes da Cunha, o livro "Crianças Saudáveis, Famílias Felizes" chamou a atenção da plateia para um aspeto muito relevante. Atualmente as pessoas traçam objetivos individuais, "quero perder peso", "quero ganhar massa muscular", "quero ser mais saudável" e para isso correm maratonas, fazem exercício, tornam-se vegetarianos, convertem-se à dieta paleo ou outras, mas no que toca à família tudo continua na mesma. Estas mães e estes pais continuam a dar aos filhos o que é mais prático no seu dia-a-dia dando-lhes muitas vezes alimentos pouco saudáveis e muito processados, bem diferentes da alimentação que escolheram para si.

Em jeito de remate, a Raquel deixou um desafio ao Governo, reunir os bloggers e profissionais de alimentação que fazem por este país fora workshops de forma individual e agregá-los num programa comum gerido e orientado pelo ministério para atingir os objetivos nacionais. Boa ideia, Raquel!

 

Alimentação saudável na perspetiva dos chefs 

Na perspetiva dos chefs, moderada pela Dra. Alexandra Bento da Ordem dos nutricionistas, a chef Justa Nobre falou do seu conhecimento da gastronomia típica portuguesa, que apesar de ter excesso de sal nos produtos de fumeiro, na sua opinião, torna-se equilibrada com a quantidade de vegetais e ervas aromáticas.

O Chef José Avillez continuou no tema da gastronomia tradicional e defendeu-se da provocação de Alexandra Bento que lhe perguntou se os restaurantes "de estrelas" não abusariam do prazer em prejuízo da saúde. Avillez disse que pelo contrário, o cuidado e a consciência dos chefs da alta cozinha é maior quer na escolha dos ingredientes, quer nas técnicas de confecção. Deu como exemplo os doces conventuais que hoje em dia se conseguem fazer com uma redução de açúcar que pode ir até aos 50% comparadas com as receitas originais. Para o chef, a importância de educar as crianças para uma alimentação saudável é fundamental e deu como exemplo o trabalho que tem desenvolvido no colégio dos filhos numa horta com a finalidade de as crianças terem contato com a origem dos alimentos.

Nuno Queiroz, o chef que tem dedicado a sua carreira a educar para a alimentação, também frisou a importância da educação dentro das salas de aula e de envolver as crianças no momento da confeção. Na sua opinião, a família tem um papel primordial na educação, também para a alimentação. Atualmente só 2% das crianças portuguesas comem fruta diariamente, dados alarmantes que refletem a iliteracia das famílias no que diz respeito à nutrição.

Foi consensual entre o painel que as escolas de hotelaria têm de dar um passo em frente e formar no sentido de ensinar técnicas mais saudáveis, de criar cozinheiros mais conscientes do seu papel para uma cozinha de futuro mais equilibrada.

Indivíduos mais informados terão famílias mais conscientes e só assim teremos uma nação capaz de fazer opções mais saudáveis. É bom saber que quem tem o poder de mudar de forma eficaz e globalizante o estado das coisas, tem já consciência da importância da alimentação na nossa saúde. Continuemos este caminho que é longo, juntos.

Por Patrícia Conde 

Não perca tempo.
Não perca tempo.
BCook ou BCook Express
  • Receitas saudáveis e equilibradas
  • Confeção rápida e simples
  • Entregue à sua porta

Só falta mesmo escolher.

Madeira Região Madeira Portugal 2020 UE EasyPay